Mãe Duplex – Gravidez de Gêmeos!

Nosso blog é sobre histórias que podem fazer a diferença na vida de outras mulheres. Já contamos com o relato do parto humanizado da amiga Sara

Agora é a vez de ouvir a história da gravidez de gêmeos da amiga Duda. A história da gestação até o nascimento dos seus filhos é simplesmente linda. Tenho certeza que essa experiência irá fazer a diferença na vida de muitas outras mulheres grávidas, mães ou não.

Friso novamente que a escolha de um bom médico ginecologista e obstetra para o pré natal faz toda a diferença na vida de uma gestante. É preciso confiar inteiramente no profissional que irá trazer ao mundo seu bem maior, no caso da Duda, seus dois maiores tesouros. 

Aproveitem a história de mais uma Mãe Guerreira que com certeza vai emocionar a muitos de vocês.

Enfim, já passa da 1 hora da madrugada, gêmeos em seus berços, tempo para vir aqui contar um pouco do meu mundo gemelar. Tudo começou em junho de 2014… Beta HCH positivo. O valor já era alto pelo pouco tempo gestacional… expectativa de ser mais que um bebê. Repeti em dois dias, ele muito mais que dobrou!

Na outra semana, uma borra de sangue aparece… conversei com minha médica, me pediu repouso. Eu em minha infinita ansiedade, insisto com ela se poderia antecipar a ecografia para aquela semana, ela me alerta de que eu não veria embrião nem ouviria batimento cardíaco com tão pouco tempo, apenas saco gestacional. Não me controlando, marquei e fiz.

A notícia: haviam 2 sacos gestacionais!

Porém ainda não tínhamos certeza se os dois sacos teriam embriões, e se tudo iria evoluir bem. Semana seguinte sangro novamente. Repito a ecografia. Havia vesícula vitelina nos 2 sacos gestacionais. Sangramento insiste em aparecer, repito a ecografia poucos dias após a última.

Ouço dois lindos corações a bater dentro de mim! Momento único, mágico e de eterna gratidão à Deus. Esse foi o começo de toda minha história de luta, dificuldades, conquistas e milagres como gestante e hoje mamãe “duplex”.baby-772441_640

Os sangramentos não cessaram. Aliás, pioraram cada vez mais. Era mais abundante e com coágulos. Por mais de uma vez, cheguei a pensar que tinha perdido meus bebês. Foram feitas mais ecografias, os pequenos estavam bem. Até que em uma delas descobrimos a causa: hematoma subcoriônico (vulgo “descolamento de placenta”).

Então se passaram 3 meses em cima de uma cama em repouso absoluto. Havia comprometido 30% dos sacos gestacionais. Com 11 semanas de gravidez, não havia mais nada. Os cuidados ao extremo valeram a pena. Pensei: meus bebês foram salvos!

Partimos para a ecografia TN (translucência nucal), onde iniciou outro pesadelo em nossas vidas: a TN de um dos bebês estava alterada, sugerindo alguma síndrome. Meu mundo desabou nesta hora.

Infelizmente essa ecografia foi feita por uma péssima profissional que nos deixou mais atormentados ainda, sugerindo síndromes horríveis e oferecendo o aborto caso não aceitássemos isso. Óbvio que eu e meu esposo nunca tivemos dúvida. Teríamos nossos filhos da maneira que fosse. A luta pelas vidas deles continuava.

O pré-natal foi mais cuidadoso. Moramos em cidade pequena e acabamos partindo para a capital em busca de uma maior assistência. Encontramos um médico que foi um anjo em nossas vidas. Nos amparou e nos cuidou.

Após as 20 semanas de gravidez, meu colo do útero começou a diminuir. Com 31 semanas de gestação, após uma consulta de pré-natal precisei ser internada para acompanhamento hospitalar. Meu colo havia aberto todinho restando apenas 0,2mm. Estava fora de minha cidade, há mais de 500km de distância, apenas com minha mãe e meu esposo me cuidando.

O médico tomou todas as medidas necessárias para caso houvesse o parto a qualquer momento, fez os últimos exames, reservou leito na UTI Neonatal, apresentou o caso para toda a equipe.

O milagre continuava: conseguimos levar adiante a gestação mesmo com todas as intercorrências até 36 semanas e 4 dias. Marcamos a data da cesárea porque meu corpo já não suportava mais. Os bebês estavam grandes demais. 

Dia 30 de Janeiro de 2015 nasceram meus príncipes! De parto cesárea. As 14:20hs o primeiro (G1) as 14:24 o segundo bebê (G2). Como prova de que Deus não dá o milagre pela metade: o médico pediatra nos dá a notícia “são perfeitos e saudáveis”. G1 pesou 3,080kg, mediu 51cm. G2 pesou 3,020kg, mediu 50cm. Nasceram e vieram direto para o colo da mamãe e do papai.

Me sinto abençoada e realizada. Os bebês ja pesam 10kg cada um e vê-los crescer assim fortes e felizes é o que me dá forças para continuar além de todo cansaço físico. Hoje acredito em milagres: vivi na pele e tenho 2 sempre ao meu lado para nunca me deixar esquecer!

Comentários

Sem Comentários para "Mãe Duplex - Gravidez de Gêmeos!"

    Participe!!