Minha Filha Não Quer Mais a Cama Compartilhada

Taí um tema que sempre ensaiei escrever e sempre fui deixando para falar depois. Aqui em casa a história com a cama compartilhada é uma verdadeira novela!

Quando eu estava grávida de Raquel, montei um quarto lindo para ela e sempre idealizava ela dormindo a noite toda no berço dela. Quando alguém me perguntava se ela iria dormir no nosso quarto eu respondia até meio mal educada “Ela vai dormir no quarto dela”. Na consulta com o pediatra, algumas semanas antes da pequena chegar ao mundo, ele nos disse que a bebê precisava dormir no nosso quarto até os 4 meses. Confesso que fiquei bem contrariada. Escutei o que ele disse e fiz de conta que aceitei o que ele recomendou.

A bebê nasceu e como planejado ela foi para o berço dela! Algumas semanas após ela nascer, Raquel começou a ter vômitos após as mamadas e alguns pediatras achavam que era refluxo. Foi neste momento que decidimos levar Raquel para o nosso quarto. Colocamos o berço ao lado da nossa cama para ficar mais fácil atender ela, caso tivesse um quadro de vômito. Depois descobrimos que ela tinha na verdade alergia à proteína do leite de vaca e assim que ela completou 4 meses ela voltou a dormir no quartinho dela.

Leia sobre a Alergia à Proteína do Leite de Vaca

Tudo ía muito bem! Ela dormia a noite toda. E com 10 meses ela ficou muito doente, com meningite bacteriana pneumocócica. Foi parar na UTI e depois que retornamos do hospital, adivinhem qual foi a minha atitude? Coloquei Raquel para dormir com a gente. Assumi que eu queria cama compartilhada. Eu ainda tinha muito medo de perder a minha bebezinha. Não me importava se era certo, se iria sofrer para colocar ela na cama dela mais tarde. Eu queria ficar bem perto da minha filha e sentir que eu estava conseguindo protegê-la.

Alguns meses depois ela mesma pediu para ir para a cama dela. E novamente tudo ficou tranquilo.

Eu engravidei e chegou o pequeno Samuel. Ele era um bebê que só mamava e dormia. Foi para o berço super de boa. Eis que quando o pequeno estava com 8 meses eu retornei ao trabalho e o sono do Samuel virou um caos! Ele acordava em média 7, 8 e até 10 vezes a noite, ou seja, ninguém dormia.

Leia sobre o Sono do bebê!

cama compartilhada

E foi então que Raquel com seus 3 anos voltou a dormir na nossa cama. Ela acordava com o irmão chorando e para conseguir fazer ela dormir ela acabava indo para a nossa cama. Decidi levar o bebê para dormir comigo também. Eu estava muito cansada e com ele perto, era mais fácil. E desde então, os dois dormem com a gente sem nenhuma cobrança, sem estresse.

Mamãe, Hoje Eu Vou Dormir no Meu Quarto, tá?

De uns dias para cá, Raquel começou a dizer que quer dormir no quarto dela. Eu não achei que fosse coisa séria! Mas ontem, ela pediu para que eu segurasse na mão dela até ela dormir e que depois eu saísse do quarto. Foi exatamente isso que fiz. De madrugada ela acordou e veo dormir comigo. Hoje foi o mesmo ritual. Rezamos, contei uma história, cantei uma música e ela dormiu.

Estou feliz por ver que ela sentiu o momento de sair da nossa cama. Que não está sendo uma situação forçada. Ver que a cada dia que passa ela se torna uma criança mais independente é algo bem dúbio para mim: estou feliz e ao mesmo tempo com um certo apertinho no coração!

Bebê não é mais bebê! Quer o espaço dela. E o coração de mãe sente falta de virar para o lado e dar um beijinho no meio da noite ou sentir um abraço seguido de “Eu te amo mãe” durante a madrugada. Ainda tenho o bebê que dorme segurando no meu cabelo. Eu acho que Samuel vai demorar um pouquinho para seguir os passos da irmã.

cama compartilhada

E ao mesmo tempo fico feliz de saber que ela está crescendo e encarando os medos de frente!

Conto cenas do processo da ída da Raquel para o quarto dela em breve.

Veja o relato de outras mães blogueiras sobre a cama compartilhada:

Sabrina do Jeitinho de Mãe

Thatá do Mamãe Tagarela

Gabi do Aprendizados de Mãe

Comentários

Categorizado em: Sono do Bebê Tags:

Deixe um recado