Perguntas e Respostas Importantes Sobre Alergia à Proteína do Leite de Vaca – APLV

Perguntas e Respostas Importantes Sobre Alergia à Proteína do Leite de Vaca – APLV

Raquel e Samuel eram portadores de APLV – Alergia à Proteína do Leite de Vaca. Como Raquel foi nossa primeira bebê e éramos pais de primeira viagem, demoramos um certo tempo até identificar o que causava tanta irritação na pequena.

Era Raquel mamar e começar a chorar desesperadamente. Eu lembro até hoje que foram dias de sofrimento para ela e para nós! Eu não tinha nem noção de que o leite pudesse fazer tanto mal para um bebê. Eu não tinha informação nenhuma sobre o assunto.

Fomos conversar mais sobre APLV com o Dr. Fábio Ancona que é especialista em nutrição infantil. Veja quanta coisa importante ele esclareceu para nós sobre o assunto.

O que é Alergia ao Leite?

Dr. Fábio Ancona – A alergia ao leite de vaca, chamada de alergia à proteína do leite de vaca (APLV) é uma reação anormal do organismo quando entra em contato com as proteínas do leite de vaca. É como se o corpo entendesse que estas proteínas são elementos estranhos e devem ser combatidos. Para isso, o organismo forma anticorpos que vão reagir contra estes alimentos, causando uma série de reações desagradáveis e até perigosas (choque anafilático, urticária, diarreia, vômitos, etc.)

 

Como sei que meu bebê tem alergia ao leite?

Dr. Fábio Ancona – Sempre que uma criança passa a receber leite diferente do materno e apresenta reações desagradáveis deve-se pensar em APLV. Logicamente, cabe ao pediatra fazer o diagnóstico pela história da doença e eventualmente pelo resultado de alguns exames.

 

APLV pode ser confundida com refluxo?

Dr. Fábio Ancona – A APLV pode ser a causa de um refluxo, mas, em geral, existem outros sintomas associados. Se o refluxo é muito persistente deve-se investigar a possibilidade de ser APLV.

 

O leite materno vai fazer mal para o meu bebê com APLV?

Dr. Fábio Ancona – O leite materno é o alimento perfeito para o bebê e deve ser mantido como alimento exclusivo até o sexto mês. Como as proteínas do leite materno são da mesma espécie, diferentemente do leite de vaca, não existe a possibilidade dele causar alergia.

 

O que uma mãe de um bebê com APLV que amamenta precisa fazer durante o processo de amamentação?

Dr. Fábio Ancona – Manter uma alimentação equilibrada sem se privar de alimentos essenciais, não fazer dietas, porque seu gasto metabólico é maior, ingerir bastante líquido e evitar substâncias que podem causar cólicas, como leite de vaca, chocolate, café, cigarros, chás estimulantes, entre outros.

 

Crianças com APLV podem consumir alimentos com traços de leite?

Dr. Fábio Ancona – Com certeza não. Qualquer traço de leite pode desencadear a mesma reação de uma mamadeira ou copo de leite.

 

Quais as causas da APLV?

Dr. Fábio Ancona – É um problema próprio do portador da APLV, visto que o seu sistema imunológico reage de maneira anormal a substâncias que não fazem mal à maioria das pessoas. Estima-se que cerca de 6% das crianças até um ano tenham este problema.

 Alergia-ao-leite-de-vaca

APLV pode matar?

Dr. Fábio Ancona – Quando a reação alérgica é muito intensa, causando choque anafilático (1% dos alérgicos) existe risco de morte.

 

APLV tem cura?

Dr. Fábio Ancona – Não há remédios que possam curar a APLV. Em geral, ela tende a desaparecer espontaneamente até os 3 ou 4 anos de idade.

 

Qual o tratamento?

Dr. Fábio Ancona – A retirada completa de leite de vaca e derivados, enquanto existirem sintomas de APLV. Devem ser usadas fórmulas com proteínas modificadas (hidrolisadas), feitas a partir de leite de vaca ou de proteínas vegetais, como o arroz, que é uma excelente opção.

 

Como a proteína de arroz auxilia a suprir a falta vitamínica proveniente do leite de origem animal? Há alguma deficiência que não pode ser suprida?

Dr. Fábio Ancona – A fórmula de proteína do arroz tem todos os nutrientes essenciais para promover um crescimento e desenvolvimento adequado das crianças, assim como acontece com as fórmulas da proteína do leite de vaca. Em todas as fórmulas são acrescentados elementos (vitaminas, aminoácidos e minerais) de modo que sejam nutricionalmente completas. A fórmula de arroz tem a vantagem de um paladar mais agradável. Com isso, tem maior aceitação, proporcionando mais qualidade de vida, desenvolvimento adequado e o fornecimento ideal de nutrientes à criança. Ou seja, a criança está sendo perfeitamente nutrida sem os sintomas da alergia, como vômitos, diarreia e urticária que são extremamente incômodos.

 

Quais são os diferenciais da formula de arroz hidrolisada em comparação aos demais produtos indicados para o tratamento da APLV?

Dr. Fábio Ancona – A fórmula de arroz possui um sabor adequado ao paladar infantil e que não interfere de maneira negativa no desenvolvimento da criança, como pode acontecer com os produtos de proteína de soja, que são totalmente contraindicados nos primeiros seis meses de vida.

Dr. Fábio Ancona, pediatra especialista em nutrição infantil. Que foi Presidente da Sociedade de Pediatria de São Paulo (2000-2002). Vice-presidente da Sociedade Brasileira de Pediatria (2004-2009).Coordenador do Tratado de Pediatria da Sociedade Brasileira de Pediatria-2007, primeira edição. Coordenador da série “Filhos “da Sociedade Brasileira de Pediatria com os volumes “de zero a dois anos”; “de dois a dez anos” e “Adolescência”, destinados ao público em geral.  Autor do livro “Avós e Netos- uma forma especial de amar”, Ed. Manole-2009. 

Como Amamentar Um Bebê Com Alergia Alimentar

 

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *